WhatsApp: função de pagamento pelo app foi suspensa pelo Banco Central

Consumidores e empresas não poderão usar o serviço de movimentação financeira do WhatsApp. A decisão veio do Banco Central (BC), que é a autoridade financeira maior do país.

O recurso, chamado de WhatsApp Pay, foi anunciado no Brasil em 15 de junho. Por meio dessa função seria possível fazer e receber pagamentos pelo aplicativo de mensagens.

WhatsApp Pay suspenso pelo BC
Sistema de pagamento via WhatsApp foi suspenso pelo BC até segunda ordem

Motivo da suspensão do WhatsApp Pay

O BC explicou em nota o motivo da suspensão: a instituição quer avaliar os riscos dessa tecnologia, que estava sendo liberada aos poucos no Brasil.

Segundo o comunicado, o serviço não poderia ter começado a funcionar sem autorização do BC. “O eventual início ou continuidade das operações sem a prévia análise do [órgão] regulador poderia gerar danos irreparáveis ao SPB [Sistema de Pagamentos Brasileiro] notadamente no que se refere à competição, eficiência e privacidade de dados”, destacou o BC, que verificará se o novo recurso cumpre as regras previstas na Lei 12.865, de 2013, que regula os meios de pagamento no país.

O descumprimento da determinação acarretará o pagamento de multa e a abertura de processo administrativo contra os responsáveis pela plataforma.

Veja também:

De acordo com o próprio Facebook (proprietário do WhatsApp), instituições financeiras como Banco do Brasil, Sicredi e Nubank são parceiras da iniciativa para a transferência entre pessoas físicas.

O pagamento a empresas era realizado em associação com a operadora de cartões de crédito Cielo.

Banco Central também tem projeto de pagamentos instantâneos

O BC já havia apresentado em fevereiro de 2020 um produto próprio para pagamento digital instantâneo, batizado de PIX.

Segundo informações publicadas no site do BC, “o PIX é um sistema de pagamento instantâneo no qual são realizadas transferências monetárias eletrônicas. A transmissão da ordem de pagamento e a disponibilidade de fundos para o usuário recebedor ocorre em tempo real e cujo serviço está disponível durante 24 horas por dia, sete dias por semana e em todos os dias no ano.

As transferências ocorrem diretamente da conta do usuário pagador para a conta do usuário recebedor, sem a necessidade de intermediários, o que propicia custos de transação menores.

Lendo essa descrição, é possível concluir que o PIX e o WhasApp Pay são concorrentes diretos.

Em fases de testes e adesão de instituições financeiras, o PIX está previsto para ser liberado ao público em novembro de 2020.


Com informações da Agência Brasil

0 0 vote
Article Rating
Inscreva-se
notificar:
guest
0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments