https://cafecomreview.com.br
Como nasceu a Getmore: a história de uma startup

Conheça a história da Getmore, uma das cinco startups selecionadas para o 2º round do Programa de Aceleração Visa 2019

A Getmore começou muito antes de ser fundada oficialmente por Edgar Scherer e o sócio Daniel Radicchi. Os dois se conheceram em 1999, na faculdade de Engenharia de Produção, em Santa Catarina, e sempre tiveram vontade de um dia empreenderem juntos.

Seguiram caminhos diferentes, Edgar se dedicou à carreira corporativa e morou alguns anos na China, enquanto Daniel saiu da faculdade para abrir sua primeira empresa.

Veja também:

Dezesseis anos depois, em 2015, quando Edgar voltou para o Brasil e reencontrou o seu colega Daniel, os dois finalmente decidiram se juntar para fundar uma startup. Partindo de um brainstorm e levando em consideração o background de ambos, optaram pelo mercado de loyalty e fidelização. 

Para começar, lançaram uma plataforma tradicional de cashback, fazendo parcerias com e-commerces, onde os usuários poderiam realizar compras e receber uma parte do valor de volta.

Como a Getmore chegou ao público

A empresa já se chamava Getmore e, depois de participarem de um programa de TV, receberam seu primeiro investimento externo. Isso deu ainda mais força para expandirem o negócio. Foi aí que decidiram ampliar o foco, envelopando a plataforma de cashback B2C também para um produto B2B.

Hoje, a Getmore funciona de duas formas – continuam com a plataforma B2C, proporcionando cashback padrão para o mercado oferecer ao consumidor final. Porém, também plugam o seu produto em apps e plataformas já existentes por meio de uma white label, onde conseguem fazer ofertas mais agressivas.

Com o crescimento da empresa, estão trabalhando em novos produtos, como Programa de Recompensas, Gameficação e, mais recentemente, cashback offline. Esse último, que é a nova aposta da empresa, pretende trabalhar o cashback em lojas físicas. Ainda testando em comércios locais de Florianópolis, cidade sede da empresa, a intenção é desenvolver e expandir para todo o território nacional.

“Quando lemos o escopo do Programa de Aceleração da Visa, percebemos muitas afinidades, em especial com o novo produto que estamos desenvolvendo – cashback offline. Enxergamos não só uma oportunidade de negócio, mas também uma experiência enriquecedora de troca de expertise, que vai nos fazer ir além”, conta Edgar Scherer, cofundador da Getmore.

Sobre o Programa de Aceleração

O Programa de Aceleração Visa está em seu terceiro ano e em 2019 já selecionou a primeira turma de startups. Cinco foram escolhidas para o 1º batch de 2019, para passar por um processo de imersão, bootcamp, mentorias com executivos da Visa e duas semanas no Vale do Silício, nos Estados Unidos.

No total, o Programa de Aceleração Visa selecionou 58 startups ao longo destes anos. Só no ano passado, 43% das startups do 1º batch e 29% do 2º batch fecharam contratos com a Visa e/ou clientes e parceiros, totalizando 14 negócios fechados até o momento. Outras 15 oportunidades comerciais ainda estão em discussão e devem ser concretizadas nos próximos meses.

Deixe um comentário

avatar
800
  Subscribe  
notificar:
Fechar Menu