Nvidia GeForce GTX 980 em um review para não gamers

A Nvidia emprestou a Geforce GTX 980 padrão (fabricada pela própria Nvidia). Sou fã de jogos para PC por três motivos: Os jogos usam resolução gráfica igual a de videogames ou, dependendo do caso, chega a ser superior.

Em segundo lugar porque os jogos são mais baratos do que a mesma versão para videogames. E, por fim, existe a plataforma Steam, que oferece “toneladas” de jogos e também faz promoções com frequência, nas quais os jogos podem chegam a ter 70% do preço original ou sugerido.

Meu desktop já tem dois anos de idade (um tempo que é, no mínimo, mais de meia idade se compararmos com a idade de humanos. Para um computador, portanto, já é um “Senhor”). E será que ele suportaria uma placa de vídeo potente, topo de linha para que eu pudesse aproveitar toda a experiência gráfica que um jogo sofisticado oferece?

Bom, a Nvidia, fabricante de placas de vídeo, me ajudou ao emprestar uma placa GeForce GTX 980. Ela não é a mais avançada do mercado, existe a GTX 980 Ti, por exemplo. Mas o legal da GTX 980 é que custa menos do que a GTX 980 Ti e entrega uma ótima experiência em jogos também.

Se você está interessado em uma solução dessas para jogar, leia primeiro os detalhes a seguir para saber se o seu desktop vai suportar uma placa de vídeo topo de linha. Portanto, esse review é para quem deseja montar um PC sem gastar tubos de dinheiro e mesmo assim obter gráficos de qualidade.

Não há testes de overclock (técnica utilizada para forçar o aumento da frequência de trabalho da CPU ou GPU) aqui, mesmo porque se a ideia é economizar, montei um PC com componentes comuns, mantendo um nível de qualidade para se obter o resultado desejado, claro. Mas nada que seja caro demais ou que precise de muito conhecimento técnico para montar. Quero mostrar aqui que é possível ter um desktop para jogos com cara de desktop comum, mas que muitas pessoas possam montar.

Nvidia Geforce GTX 980
Parte de trás da Nvidia GTX 980. Em destaque estão os conectores para usar duas placas em paralelo, técnica chamada de SLI (Scalable Link Interface). O conector de baixo vai “espetado” na placa-mãe.
geforce gtx 980
Nvidia GTX 980 vista de cima. Em destaque os dois conectores de alimentação. A fonte de alimentação do PC precisa fornecer duas linhas de 6 pinos cada uma.
GTX 980 conectores
Parte de trás da Nvidia GTX 980. Repare que ela ocupa dois slots do PC, como todas as placas de vídeo topo de linha. Os conectores são as opções de vídeo: DVI, HDMI e Display port. è mais comum usar o HDMI.

Itens primordiais (ou seja, o basicão)

Em primeiro lugar você precisa de uma fonte de alimentação que suporte a placa de vídeo top. Essas placas demandam muita energia, pois não existe segredo. É como um carro: quanto mais cavalos de potência, mais combustível é necessário para fazê-lo “voar”. E o motor de um carro potente é uma ótima comparação com placa de vídeo e explicarei mais adiante.

Fonte de alimentação para a Nvidia GeForce GTX 980

A fonte de alimentação geralmente é vista pelo consumo em watts. Por isso você ouve falar em fontes de 300 watts até fontes que são verdadeiras usinas chegando a 1.300 watts de potência. E aqui você deve tomar cuidado. Não é preciso uma fonte dessas para aproveitar o máximo dos jogos, porém, você precisa de um valor mínimo para instalar uma placa como a Nvidia GTX 980.

Nossa sorte é que os fabricantes lutam por fazer componentes cada vez menores e que, consequentemente, consomem menos energia. Para uma placa como a GTX 980, você vai precisa de uma fonte de 500 watts. Mas muita calma nessa hora, porque só saber a potência não basta.

fonte de alimentação
Exemplo de uma fonte de alimentação. Na compra, o importante é verificar quantas linhas de alimentação a fonte fornece para a placa de vídeo. No caso da Nvidia GTX 980, duas linhas de 6 pinos cada uma são necessárias.

Uma fonte de alimentação de desktop é composta pro várias fontes dentro dela. Porque ela fornece tensões e corrente diferentes para cada componente do computador. Uma fonte precisa alimentar a placa mãe, discos rígidos, outros drives, leds e conectores. Cada componente tem consumo diferente, por isso a fonte vem com vários cabos que fornecem a tensão e corrente adequadas.

E quando você vai instalar uma placa de vídeo potente, ela precisa de uma ou mais linhas de alimentação somente para ela. Portanto, é importante que a fonte de alimentação tenha ao menos duas linhas de energia dedicadas à placa. Geralmente vem marcado no cabo a inscrição PCI-e, que é o tipo do slot em que a placa de vídeo será instalada.

Resumindo: a fonte para a Nvidia GeForce GTX 980 precisa, no mínimo, 500 watts (especificação da própria Nvidia) e também duas linhas (cabos) de alimentação de 6 pinos cada um. Mas eu compraria uma fonte de, no mínimo, 550 ou 600 watts. Porque quando se trata de energia, é melhor sobrar um “lastro”. O motivo é que se você instalar mais algum componente no seu PC no futuro, não terá problema em queimar sua fonte.

DICA: Não precisa comprar uma fonte cerrérima, mas também não compre a mais barata. Porque é certeza que a mais barata, daquelas sem marca, vai queimar. As fontes mais baratas não fornecem a corrente necessária para alimentar uma placa de vídeo desse porte e o que acontece é que a fonte queima. Boas marcas que são tradicionais: Thermaltek, Cooler Master, Corsair e OCZ

Gabinete e ventilação

Uma placa de vídeo de alto desempenho como a Nvidia GTX 980 tem dimensões grandes: 26,7 cm de comprimento por 11,1 cm de altura e ocupa a largura de dois slots no PC. Pra ter uma ideia, a placa pesa pouco mais de 1 quilo. Portanto, é preciso de um gabinete grande. Além disso, ele precisa ser bem ventilado, o que significa que ele precisa de, no mínimo, três fans (ventiladores) de 12 cm de diâmetro.

DICA: Há muitas opções de formatos no mercado. Como a pauta aqui é economia, você não precisa de um gabinete tipo carro alegórico, com neons em várias cores piscando o tempo todo.

Esses gabinetes são bem legais, porém, são para aficionados por games. A dica é ir nas marcas tradicionais para pegar um gabinete que ofereça boas posições de conectores e passagens para os cabos internos.

As marcas tradicionais e que também possuem gabinetes discretos e mais econômicos são a Thermaltake, Cooler Master, NZXT e Corsair. Eu utilizo um NZXT que tem muito espaço interno, possui ótima ventilação e, por ser mais parecido com um gabinete comum, o preço é bem acessível.

Processador, placa-mãe, memória e slots

Aqui o assunto fica um tanto delicado, pois estamos falando do coração e cérebro da máquina, além do sistema sanguíneo da máquina. É vital que, para jogos você tenha um bom processador.

Novamente vale lembrar que esta matéria é para você ter uma ótima experiência em jogos sem ter que gastar muito. Portanto, não precisa ter um processador de última geração, mas precisa de um que suporte multitarefas e use uma boa frequência de trabalho, o tal do clock.

DICAS: Na prática a dica é um Core i5 para desktops que trabalhe em uma frequência mínima de 2,8 GHz. Ou um AMD FX que tenha a mesma frequência. O meu processador (que foi usado nos testes) é um AMD FX-8120, de oito núcleos e frequência entre 1,4 GHz (em repouso ou baixa atividade) e 3,1 GHz quando a demanda é grande.

Acima dele, ainda há três modelos FX, mas a experiência com o AMD FX-8120 foi ótima para jogos. Preferência por Intel ou AMD? Sinceramente, as duas marcas entregam desempenho ótimo para o usuário final.

A placa-mãe precisa ter ao menos slots (pentes onde as placas são espetadas) tipo PCI-e x16 2.0. Essa é a especificação de barramento na qual a placa gráfica troca dados com processador e memória. A GTX 980 usa um barramento PCI-e X16 3.0.

A minha placa-mãe é uma Asus Crosshair IV Extreme. Apesar do nome com muita pompa ela não é nova; é um modelo de 2012. E usa barramento PCI-e x16 2.0.

Posso dizer sem medo que isso não influenciou no desempenho e tive uma experiência ótima com jogos. Essa matéria detalhadíssima (está em inglês) mostra gráficos em que a versão do barramento PCI-e pouco importou no desempenho. Essencial: ter espaço para instalar a GTX 980, pois ela ocupa o lugar de dois slots. A dica básica aqui é: toda placa gráfica de alto desempenho é espaçosa (!).

A memória RAM precisa ter no mínimo 1.333 MHz de frequência. Isso é necessário porque é por meio dela que a CPU e a GPU vão “conversar”.

Se ela trabalhar em menor frequência, o cérebro da máquina terá que esperar ciclos para manter a conversa. Outra dica é a quantidade. Se você quer jogar, tenha no mínimo 8 GB de memória.

A quantidade de dados, cálculos aritméticos e de lógica é grande quando estamos jogando. E cuidado com a marca. Por ser um item essencial, onde o fluxo sanguíneo do sistema corre em toda sua quantidade, qualquer erro, faz o sistema travar.

Busque marcas como OCZ, Corsair e Kingston. É um item que pode sair caro, mas não é bom economizar aqui, mesmo se você não for jogar!

Como uma placa gráfica funciona

Primeiro, acho legal explicar porque uma placa de vídeo é interessante para jogos. Um jogo sofisticado é repleto de gráficos vetoriais e que precisam ser preenchidos com texturas. E é claro que, quanto mais detalhes nas texturas, mais os gráficos se aproximam da realidade.

E mais: jogos usam tiros, explosões, fogo, fumaça, sombras, luzes e muito mais elementos como chuva, reflexos, fog e outros elementos que se movem por si só, como folhas de uma árvore e animais que interagem com o ambiente por exemplo.

Além disso é preciso lembrar dos movimentos. A cada movimento do personagem ou objetos, o processador precisa calcular todos os pontos de onde esse objeto vai. E lembre-se que quem está controlando o personagem é você.

Portanto, todos esses cálculos precisas ser feitos em tempo real. Quando o jogo está lento demais é porque o sistema (CPU, GPU, memória) não estão “dando conta” do recado e precisam de mais tempo para fazer o cálculo. Isso geralmente acontece quando não temos uma placa gráfica dedicada.

Ou seja, tudo é feito pelo processador e pela GPU que está dentro dele. E sozinho, o processador não consegue lidar com todos esses elementos de um jogo.

É aí que entra a placa gráfica. A Nvidia GTX 980, por exemplo, tem 2.048 núcleos a serviço dos gráficos. Isso mesmo, você leu certo, são 2.048 núcleos. Mas diferente da CPU do computador, esses núcleos são dedicados a trabalhar com vetores.

Por meio do driver da placa, um software que você instala para ela ser gerenciada pelo sistema, o processador do computador sabe quando é o momento de “passar a bola” para a placa gráfica. Assim ele não fica sobrecarregado.

Por exemplo, durante um jogo, quando chega uma instrução de desenhar um gráfico em movimento, ela é passada automaticamente para a placa gráfica, que divide o trabalho em pedaços e distribui entre seus 2.048 operários núcleos. Com muitos núcleos trabalhando em paralelo, o trabalho é entregue muito, mas muito mais rápido.

É claro que outras operações estão envolvidas, como cálculos de lógica e preenchimento dos gráficos e, por isso, a placa gráfica também vem munida de memória; no caso da Nvidia GTX 980, são 4 GB.

Essa é uma explicação bastante simplificada, mas é isso o que acontece quando você utiliza uma placa gráfica: sua experiência de jogo é incrível.

Os testes com a GTX 980 em um PC não gamer

Aqui vamos saber como a placa da Nvidia se saiu nos testes em um desktop de configuração intermediária. A placa-mãe é a Asus Crosshair IV Extreme e a configuração do computador segue abaixo:

specs desktop

Antes de falar de jogos, quero dizer que a GTX 980 foi totalmente compatível com as aplicações que utilizo. Editores de foto como o Photoshop e o gratuito Paint.net funcionaram sem problemas. Aliás, o Paintshop também utiliza o poder da placa gráfica, o que torna a edição de fotos, principalmente no modo RAW, mais rápidas.

O editor de vídeo Sony vegas também rodou sem problemas. E para quem tem dúvida sobre Windows 10, fique tranquilo, tudo correu muito bem entre ele a GTX 980.

Instalei alguns jogos como FarCry 4, Metro Last Light, Battlefiled 4 e Assassin’s Creed Syndicate. Não quero me estender e ficar explicando quais configurações os jogos rodaram melhor. O que acho melhor dizer aqui é que tive uma experiência excelente nos jogos. Para atingir uma boa jogabilidade é preciso que o jogo tenha ao menos 30 fps (frames por segundo) e a GTX 980 mais a configuração do meu PC conseguiram atingir essa faixa.

Em FarCry 4, foi o que deu mais trabalho para meu PC. Com gráficos rodando em média a 38 fps, joguei sem problemas. Alguns itens da parte gráfica eu precisei desabilitar ou baixar a definição, como sombras e o anti-aliasing (corrige o serrilhado dos contornos) que tive que deixar em MSAA 4x.

Mas isso não estragou minha experiência no jogo: não havia travamentos e nem as irritantes “brecadinhas”. Alguns detalhes de sombra e fumaça sumiram, mas nada que tirasse a emoção do jogo.

Quanto aos outros três jogos, consegui jogar todos na configuração máxima de vídeo, que é deixar o anti-aliasing no máximo, sombras e filtro anisotrópico (exibe objetos mesmo em distâncias grandes).

A taxa de frames para o Metro Last Light, que também tem gráficos muito exigentes, variava entre 40 e 45 fps. O Battlefield 4 ficou entre 48 e 90 fps, dependendo das cenas, pois o BF4 tem cenas hora com muitos elementos e hora com pouquíssimos.

Assassin’s Creed Syndicate foi o que menos variou, ficando entre 39 e 42 fps. O que faz sentido, pois os cenários desse jogo, apesar de passarem em ambientes diferentes, são todos desenhados de forma uniforme, seguindo um padrão de algoritmo, o que faz manter um pouco mais de estabilização.

Benchmark da Nvidia GeForce GTX 980

Enfim, rodei também o software de benchmark 3D Mark, da Futuremark.  Executei em todos os seus modos, que roda testes gráficos em configurações distintas. São modos que o 3D Mark roda testes gráficos em configuração de vídeo mínima até a máxima configuração de vídeo, acionando todos os recursos de vídeo.

É interessante rodar benchmarks porque servem como referência e você pode comparar em outros sites, inclusive no próprio site da Futuremark. Eu capturei as telas de todos os modos do 3D Mark que executei e elas estão abaixo, da ordem de menor configuração para a maior.

Interpretando os valores de cada modo: repare que há uma diferença enorme entre o modo mais avançado e o modo mais básico.

Essa diferença mostra o quanto é difícil em termos de cálculos lógicos, aritméticos e vetoriais para se compor um jogo com gráficos e elementos de física (a trajetória de um projétil, por exemplo) muito sofisticados.

Não é toa que uma placa de vídeo precisa de refrigeração própria!

3D mark cloud gate
3D mark sky diver
Modo Sky Diver
3D mark fire strike
Modo Fire Strike
3D mark fire strike extreme
Modo Fire Strike Extreme
3D mark fire strike ultra
Modo Fire Strike Ultra

Exemplos de alguns jogos testados na Nvidia GeForce GTX 980

Capturei vídeos de parte do jogo Battlefield 4 e de Metro Last Light. Infelizmente não consegui capturar vídeos do Assassin’s Creed Syndicate e Far Cry 4, por algum problema de incompatibilidade do engine ou interface do jogo com o programa de captura. Mas o importante neste tópico é mostrar o quanto os jogos fluiam bem, os gráficos eram detalhistas e, portanto, a experiência de jogar foi muito prazerosa.


Teste com o jogo Battlefield 4


Teste com o jogo Metro Last Light

Conclusão e considerações

O resultado aqui é bem simples. Fiquei muito feliz em saber que a configuração de meu desktop foi suficiente para rodar jogos sofisticados com ótima experiência em gráficos e jogabilidade.

A configuração do meu PC não é top-de-linha, como descrevi no texto acima. E suportou a placa Nvidia GeForce GTX 980, que é mais recente até a data de publicação desse review.

Se você está pensando em montar um PC para jogos e não o faz porque acha que vai gastar muito, então aqui está a prova de que é possível se divertir bastante sem precisar ter a última bolacha do pacote uma configuração de PC que mande um foguete para o espaço.

É necessário ter alguns cuidados sim para instalar uma placa de vídeo potente, portanto, siga as recomendações descritas nesse texto e você poderá ter o seu desktop de jogos.

Ele não vai chamar a atenção pelo design, mas vai impressionar seus amigos com a definição de imagem e efeitos que uma boa placa de vídeo pode reproduzir. Além, é claro, de garantir sua diversão.

0 0 vote
Article Rating
Inscreva-se
notificar:
guest
0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments