You are currently viewing 5G: a nova geração de redes móveis poderá substituir o Wi-Fi?
Crédito imagem: Adobe Stock

O 5G pode alcançar velocidades próximas de uma rede Wi-Fi. Entenda como o 5G funciona e se ele pode substituir ou complementar a tecnologia Wi-Fi

Artigo escrito por Fabio Appel, coordenador de produtos da TP-Link
Editor: René Ribeiro

O 5G é uma das tecnologias mais faladas nos últimos anos, fato que se intensificou recentemente após o leilão promovido pela Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel), que ocorreu em novembro, para a aquisição das novas radiofrequências através das operadoras de telefonia. O evento superou as expectativas de mercado, ultrapassando o valor de R$47 bilhões de reais. O fato se dá graças à configuração da nova geração de internet móvel, que a aponta como superior ao 3G e 4G, padrões em funcionamento no Brasil.

A tecnologia promete chegar ao país principalmente para ampliar a velocidade de navegação em celulares e dispositivos móveis, a fim de assegurar melhor experiência de navegação para o usuário e garantir um desempenho superior no envio e download de arquivos. Segundo o Ministério das Comunicações, a previsão para implementação do 5G é a partir do segundo semestre de 2022, apesar de inicialmente ficar concentrada somente nos grandes centros urbanos.

Veja também:

A expectativa é que a quinta geração permita a conexão de mais de 1 milhão de aparelhos por metro quadrado. Entre seus diferenciais, o 5G pretende garantir melhor resposta de sinal, o que ajuda a evitar lentidão e melhora o fluxo durante o uso da Internet. Com isso, a tecnologia irá possibilitar transmissões de vídeo com melhor resolução e estabilidade de sinal, velocidades mais altas, além de maior eficiência de rede.

Se comparado ao 4G, modelo móvel mais avançado atualmente, a nova tecnologia deve alcançar taxas de transmissão até vinte vezes mais rápidas, com eficiência 90% maior. Apesar de promissora, a implantação do 5G terá inúmeros desafios, entre eles a dificuldade de adesão de cidades fora do eixo metropolitano a curto e médio prazo, que está prevista para acontecer até 2029.

E com o 5G alcançando velocidades altíssimas e com mais estabilidade, uma dúvida paira no ar: ele de alguma maneira substituíra o Wi-Fi? Então, confira a diferença entre essas tecnologias de redes móveis e se elas serão substituíveis ou complementares.

5G

É verdade que o 5G trará consigo um avanço tecnológico sem precedentes. Entre seus benefícios pode-se elencar a telemedicina, aplicações IoT (Artificial Intelligence of Things) e até mesmo carros autônomos. “o 5G apresentará uma integração entre homem e máquina que nos aproximará ainda mais do futuro. Com ele, diversos serviços públicos e industriais serão positivamente impactados, como é o caso da agropecuária. Com equipamentos agrícolas autônomos, o setor terá uma maior eficiência no cultivo e processos com o auxílio da rede ultra veloz e de baixa latência”, explica Appel.

Apesar de seus avanços, a nova rede móvel não deve substituir o Wi-Fi e redes residenciais no geral. O especialista da TP-Link continua: “o 5G está ampliando o leque de opções de conexão com a rede de internet e se tornando uma opção móvel de excelente desempenho. No entanto, o conceito de rede externa e rede particular (WAN e LAN) deve ser mantido como opção segura e prática na configuração dos dispositivos conectados. Então, ele não substituirá o Wi-Fi, mas o complementará.

Wi-Fi 6

Quando o Wi-Fi é trazido à tona, e principalmente o Wi-Fi 6, é mais simples entender como a tecnologia funcionará em conjunto do 5G. Ambos são responsáveis por introduzirem a nova era de acesso wireless. Sua convergência permitirá que empresas de pequeno, médio e grande porte funcionem qualquer lugar enquanto aumentam a produtividade e oferecem a melhor experiência do usuário.

“A introdução do padrão 802.11.ax (popularmente conhecido como Wi-Fi 6), apresenta recursos para melhorar o desempenho da rede, residencial ou corporativa, com aumento de velocidade e transmissão simultânea de dados sem perda de performance, além de diminuir a exposição a ataques virtuais”, comenta o especialista. “Junto disso, o Wi-Fi conta com características como a possibilidade de consumir streaming em 8K e capacidade até quatro vezes maior para dispositivos conectados como celulares, notebooks, smart TVs e muito mais”.

A realidade é que, com o 5G e o Wi-Fi 6, os indivíduos, mas principalmente as empresas, utilizarão uma combinação das duas tecnologias que melhor atenderá às suas necessidades e objetivos. O Wi-Fi continuará a ser a escolha mais viável para ambientes internos, enquanto o 5G chegará para otimizar a conexão em áreas externas ou em casos de uso industrial graças a seu alcance, qualidade de serviço e segurança.

5 1 vote
Article Rating
Inscreva-se
notificar:
guest
0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments